FUKUSHIMA

Partilhe esta página





Nunca mais se falou nas radiações de Fukushima, porque será que os Média andam a fazer blackout sobre o assunto ?

Porque a situação está piorando muito...


 

fukushima radiacoes

Especialistas alertam para a presença de uma "nuvem" de alta radiação viajando de Fukushima, no Japão, a oeste do Oceano Pacífico.

Um pouco mais de um ano do desastre nuclear de Fukushima, o pesadelo parece ainda longe de terminar.
De acordo com o aviso de uma equipa de cientistas que analisou os mares do Japão, a radiação resultante deste desastre está começando a caminhar através do oceano Pacífico a oeste.

Isso indica que este ponto radioactivo atingiu a costa dos EUA e México, com dezenas de ilhas afectadas, incluindo Havai. Estima-se que menos de um ano, dependendo das correntes oceânicas, poderá chegar à costa da Califórnia.


Pesquisadores do Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI) analisaram amostras de água de Junho últimos e animais marinhos, comprovando a presença de radiação a uma distância de aproximadamente 300 quilómetros da costa do Japão. De acordo com esta organização, os níveis de radiação são centenas de milhares de vezes maior do que aquilo que normalmente seriam gravadas, e advertiu:

"O que isto significa é que será necessário monitorar o ambiente marinho do noroeste do Pacífico, a longo prazo."

 

 

Governo Japonês tem planos para evacuar 39 Milhões de pessoas, se necessário :

O reactor 4 de Fukushima, que detém 75% do combustível nuclear equivalente ao de Chernobyl , 460 toneladas no total, estão em risco de colapso. Com o telhado do complexo desintegrado, se a piscina de armazenamento para o combustível irradiado, for danificada, o combustível nuclear poderia superaquecer e explodir, espalhando contaminação radioactiva numa ampla área do Japão.

Tanto a americana Nuclear Regulatory Commission (NRC) e a francesa de energia nuclear Areva advertiram que reactor 4 é o "elo mais fraco" no complexo de Fukushima. A Tokyo Electric Power Company tem resistido aos apelos para enterrar as barras de combustível irradiado em betão, citando o custo, mas o editorial do Mainichi do Japão cita declarações de internos da TEPCO avisando que existe "uma grave preocupação."
"Tem sido sugerido que o edifício seja reforçado, e barras de combustível irradiado sejam removidas da piscina. Mas a remoção das hastes levaria três anos. Será que a estrutura permanecerá em pé por tanto tempo? "

"O pior cenário traçado pelo governo inclui não apenas o colapso da piscina do reactor 4, mas a desintegração de barras de combustível irradiado de todos os outros reactores da central. Se isso vier a acontecer, os residentes na área metropolitana de Tóquio serão forçados a evacuar ", segundo o editorial do jornalista sénior Takao Yamada.

Leituras de radiação revelaram que algumas áreas de Tóquio têm mais radiação do que existia nas Zonas de exclusão de Chernobyl em 1986. Amostras de solo recentemente tomadas em Tóquio foram consideradas tão radioactivas que seriam consideradas resíduos radioactivos nos Estados Unidos e teriam que ser eliminados por peritos, numa instalação segura.

 

 

 

***